birra infantil 29 maio 2018

Psicoterapia Infantil

Comments: Nenhum comentário

Birra Infantil: Quais Os Motivos E Como Lidar

A birra infantil costuma causar muito estresse e constrangimento na vida dos pais. Afinal, lidar com uma criança gritando e se jogando no chão no meio do shopping não é uma situação tão fácil de manejar, ainda mais sob os olhares reprovadores de quem passa.

A boa notícia é que a birra faz parte do desenvolvimento das crianças e, embora não se possa evitá-la por completo, é sim possível lidar com este tipo de comportamento de forma equilibrada, desencorajando-o. Não sabe mais o que fazer com sua criança birrenta? Acompanhe nosso artigo.

 

Birra infantil: qual a explicação para este comportamento

A birra infantil é caracterizada por uma reação aparentemente exagerada da criança, que pode incluir choro descontrolado, gritos, jogar-se no chão e espernear. Em geral esse tipo de comportamento surge por volta de um ano e seis meses, intensifica-se aos dois anos e vai desaparecendo a partir dos seis anos de idade.

Entretanto, dependendo da forma como os pais lidam com tal comportamento, ele pode permanecer pelo resto da vida.

Diferente do que muitos pensam, a birra não é só “coisa de crianças mal educadas ou mimadas”. De acordo com neuropediatras e psicólogos infantis, trata-se de uma fase natural do desenvolvimento dos pequenos.

Fazer birra nada mais é do que uma forma da criança expressar seus desejos, já que ela ainda não desenvolveu adequadamente sua comunicação verbal e capacidade de argumentação.

Por exemplo, quando uma criança faz birra no shopping porque quer um brinquedo ou lanchar no fast-food, essa é sua forma de “argumentar” diante da negativa dos pais.

 

A birra e o desenvolvimento cerebral das crianças

O comportamento infantil conhecido como birra está diretamente ligado ao desenvolvimento cerebral dos seres humanos.

A parte do cérebro denominada neocórtex, responsável por habilidades como resolução de problemas e pensamento analítico, ainda não está plenamente formada nas crianças.

Conforme explicou em matéria publicada na revista Superinteressante o neuropediatra Mauro Muszkat, da Universidade Federal de São Paulo, devido à falta de conexões neuronais nos primeiros quatro anos de vida, a atividade cerebral mais intensa nas crianças ocorre em partes inferiores, mais antigas e pouco alteradas pela evolução.

Essas áreas do cérebro são responsáveis pelas reações instintivas de ataque e defesa, sentido de autopreservação, assim como pelas emoções fortes como o medo da separação e a raiva.

É fundamental ter em mente essa questão neurológica para entender que nos momentos de birra a criança não age de forma racional. Nessa hora, cabe aos pais agir com racionalidade.

 

Como lidar com as birras

Entendendo a birra como uma forma de comunicação de necessidades, o papel dos pais é demonstrar aos filhos que esse não é o jeito mais adequado de se expressar. E como se faz isso? Em primeiro lugar, jamais se deve fazer a vontade da criança somente para que ela pare com a birra. Caso isso ocorra, o comportamento se intensificará.

Também é fundamental manter a calma, já que o descontrole do pai ou mãe já é um sinal de que a birra está surtindo efeito. Uma atitude que pode fazer toda a diferente é olhar nos olhos da criança e falar calmamente: desse jeito eu não estou te entendendo, enquanto você ficar assim, não posso te ajudar, quando você se acalmar, a gente conversa.

Quando a criança se acalmar, é importante demonstrar aprovação e confortá-la fisicamente, com um abraço, por exemplo. Em algumas situações a criança não conseguirá se controlar, mesmo diante da postura serena do responsável. A solução nesses casos é interromper a atividade em questão ou sair daquele ambiente.

Embora a birra e a desobediência façam parte do desenvolvimento infantil, os pais devem ficar atentos para que o problema não extrapole os limites saudáveis. Quando as birras são muito frequentes e a criança demonstra agressividade exagerada, existe a possibilidade de que se esteja diante de um caso de transtorno opositivo desafiador (TOD).

Por outro lado, a forma como os responsáveis lidam com a birra infantil é um ponto chave para que esse tipo de comportamento diminua naturalmente conforme a criança cresce ou, se torne um adulto birrento.

Para aprender como lidar da melhor forma com as birras do seu filho e saber se é só uma fase mesmo, o melhor a fazer é buscar aconselhamento com um psicólogo infantil.

Esse artigo tem caráter informativo, se você se identificou com qualquer sintoma busque ajuda profissional, consulte um psicólogo infantil em Bragança Paulista no Instituto Integrado de Psicologia.

IIPB – Instituto Integrado de Psicologia Bragança.

Fone: 11 2277-4283 ou whatsapp: 971438628

Psicólogos em Bragança Paulista e região. – Atendimento infantil, adolescente e adulto.

www.iipb.com.br

Deixe uma resposta

Whatsapp!