Diagnóstico autismo Bragança Paulista .

AUTISMO E TRANSTORNOS DO ESPECTRO AUTISTA

Diversas pesquisas são feitas para definir o autismo e os transtornos do espectro autista, no entanto existem algumas características que apontam para o diagnóstico de autismo, como o déficit observável na comunicação e interação social, alguns comportamentos repetitivos e áreas de interesse restritas. Essas características já estão presentes em crianças antes dos 3 anos de idade e representam uma parcela de 0.6% da população, mas esse número vem aumentando significativamente, sendo que o autismo é 4 vezes mais comum em meninos do que em meninas.

A nomenclatura autismo hoje foi revisada e muito se fala em transtornos do espectro autista, isso porque ele se dá de diversas maneiras e variam de acordo com o desenvolvimento cognitivo da criança. Em alguns casos há perda intelectual grave, não desenvolvimento da linguagem, deficit significativo na interação social e padrões simples de repetição, por outro lado existem casos como na Síndrome de Asperger, que faz parte dos transtornos do espectro autista, onde não há a perda intelectual nem perda significativa de linguagem mas há uma dificuldade de interação social que muitas vezes pode ser considerada estranha e peculiar.

diagnóstico autismo Bragança PaulistaDIAGNÓSTICO DE AUTISMO

O diagnóstico de autismo é clínico, feito por equipe com psicólogos e neurologistas com observação do comportamento da criança, entrevista com os pais e em etapa posterior a aplicação de testes específicos. Ainda não há um exame único que faça esse diagnóstico, mas sim o conjunto da análise clínica do profissional e de testes neuropsicológicos como o SON-R 2 ½ – 7, um teste não verbal de inteligência que é usado com crianças em casos de suspeita de transtornos do espectro autista, e que pode auxiliar no diagnóstico mais preciso, assim como as Escalas Wechsler e Matrizes Progressivas Coloridas de Raven.

A maior dificuldade no diagnóstico clínico está na variabilidade das características das crianças com TEA, por isso são necessárias diversas sessões de observação do comportamento da criança antes da aplicação dos testes para que os testes possuam a validade e sejam aplicados da forma correta de acordo com a limitação de cada criança. Por isso é necessário que o profissional tenha experiência clínica com autismo, não é qualquer profissional que tem a capacidade de elaborar um diagnóstico de TEA.

TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA E SEUS DIFERENTES NÍVEIS.

Atualmente o TEA é dividido em graus e sua gravidade é baseada na tabela abaixo:

NÍVEL DE GRAVIDADE COMUNICAÇÃO SOCIAL COMPORTAMENTOS REPETITIVOS E RESTRITOS
Nível 3

“exigindo apoio muito substancial”

Déficits graves nas habilidades de comunicação social verbal e não verbal causam prejuízos graves de funcionamento, limitação em iniciar interações sociais e resposta mínima a aberturas sociais que partem de outros. Inflexibilidade de comportamento, extrema dificuldade em lidar com a mudança ou outros comportamentos restritos/repetitivos interferem acentuadamente no funcionamento em todas as esferas. Grande sofrimento/dificuldade para mudar o foco ou as ações.
Nível 2

“exigindo apoio substancial”

Déficits graves nas habilidades de comunicação social verbal e não verbal, prejuízos sociais aparentes mesmo na presença de apoio, limitação em dar inicio a interações sociais e resposta reduzida ou anormal a aberturas sociais que partem dos outros. Inflexibilidade do comportamento, dificuldade de lidar coma mudança ou outros comportamentos restritos/repetitivos aparecem com frequência suficiente para serem óbvios ao observador casual e interferem no funcionamento em uma variedade de contextos. Sofrimento/dificuldade para mudar o foco ou as ações.
Nível 1

“Exigindo apoio”

Na ausência de apoio, déficits na comunicação social causam prejuízos notáveis. Dificuldade para iniciar interações sociais e exemplos claros de respostas atípicas ou sem sucesso a aberturas sociais dos outros. Pode aparentar pouco interesse por interações sociais. Inflexibilidade de comportamento causa interferência significativa no funcionamento em um ou mais contextos. Dificuldade em trocar de atividade. Problemas para organização e planejamento são obstáculos à independência.

 

Referencia Bibliográfica:
AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION (APA). Manual Diagnóstico e Estatístico deTranstornos Mentais – DSM 5. Tradução de Maria Inês Correa Nascimento et al; revisão técnica Aristides Volpato Cordiolo. 5. ed. Porto Alegre: Artes Médicas,

TRATAMENTO DO AUTISMO

O tratamento consiste em um apoio multidisciplinar, que envolve psicólogos, psiquiatras, fonoaudiólogos, educadores físicos, nutricionistas, fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais. É necessária uma intervenção psicoeducacional, apoio e orientação familiar, auxilio no desenvolvimento da linguagem e comunicação, entre diversos outros serviços que podem ser oferecidos pelas instituições especializadas ou profissionais da área.

Existem métodos comportamentais como o ABA que foram desenvolvidos especialmente para a análise e modificação de comportamentos dessa crianças bem como para desenvolvimento de habilidades e redução de comportamentos indesejáveis.

Se você tem suspeitas de que pode ter uma criança com TEA entre em contato e agende uma avaliação. No IIPB oferecemos um serviço especializado em Diagnóstico de autismo em Bragança Paulista. Temos neuropsicólogos especializados em crianças e com ampla experiência em transtornos do espectro autista, contamos ainda com testes e instrumentos de avaliação para autistas como o SON-R 2 ½ – 7 desenvolvido nos Estados Unidos e trazido ao Brasil para auxiliar no diagnóstico de autismo e outros transtornos.

Esse texto tem caráter informativo, se você se identificou com qualquer sintoma procure um psicólogo.
IIPB – Instituto Integrado de Psicologia Bragança –
 Clínica de Psicologia em Bragança Paulista, Atibaia e região.

 

Deixe uma resposta

Whatsapp!